eCUESTA

 
MIL HORAS DE SERVIÇO COMUNITÁRIO

 | Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons CC BY ND 3.0 Brasil
Por: Radar eCuesta - Imagem: Reprodução | Internet



Frequentemente, nos deparamos com vários tipos de contratos online, sendo que no final é necessário clicar para confirmar que aceitamos os termos do contrato e assim, usufruir o serviço. Porém, o que poucos realmente fazem é ler todas as condições impostas destes conjtratos, e, para provar isso, uma empresa mostrou como é fácil enganar os internautas.

Em um teste para mostrar que a maioria das pessoas não estão atentas aos termos que estão presentes nos contratos, a Purple, empresa britânica que fornece WiFi gratuito na região, adicionou uma brincadeira que muitas pessoas acabaram nem percebendo, ou seja, a troca de acesso gratuito pela prestação de serviço comunitário de mil horas.

O usuário pode ser convocado, como a Purple desejar, a prestar mil horas de serviço comunitário. Isso pode incluir uma das seguintes opções: limpar dejetos de animais de parques públicos, fornecer abrigo a cães e gatos perdidos, liberar passagem em bloqueios de esgoto manualmente, limpar banheiros em festivais e eventos, lustrar conchas de caracol para ficarem brilhantes e remover chicletes das ruas”, diz parte do contrato.

Apenas uma pessoa percebeu o que a Purple inseriu no contrato e não aceitou os termos. Porém, 22 mil pessoas não prestaram a atenção no que estava escrito. Desta vez, claro, tudo não passada de uma brincadeira, ou melhor, um teste, mas poderia sim ser real, e ainda com consequências bem mais graves.

Usuários de WiFI precisam ler os termos quando eles estão se registrando para acessar uma rede. Com o que concordaram, que tipo de informação estão compartilhando e que tipo de permissão estão dando às empresas? Nossa experiência mostrou que é muito fácil marcar uma caixa e consentir com algo que não é justo”, mencionou Gavin Wheeldon, diretor-executivo da Purple.

E você, costuma ler os contratos online?